Museu dos Estados Unidos afirma ter provas da coexistência de humanos e dinossauros

No Creation Museum, localizado em Petersburg, Kentucky (EUA) está sendo exposto o fóssil de um dinossauro que, asseguram, ter vivido junto aos humanos cerca de 4.500 anos atrás.
Trata-se da ossada de um Allosaurus, uma espécie bastante semelhante ao famoso Tyrannosaurus Rex, que dominou a superfície terrestre há 150 milhões de anos, segundo estudos. 

De acordo com Ken Ham, fundador do Creation Museum, o animal teria desaparecido devido a uma grande inundação, fato que confirmaria alguns relatos do dilúvio bíblico.

Ham crê que a exposição irá defender o Gênesis e relatar problemas científicos relacionados com a evolução. “Os evolucionistas utilizam os dinossauros para incutir nas crianças seu conceito sobre o mundo “, diz ele. “Nosso museu utiliza dinossauros para contar sua verdadeira história da Bíblia.”

Vale ressaltar que Ken Ham está por trás de um outro projeto que visa a recriar da Arca de Noé. 

Já o educador científico Bill Nye explica que, em caso de uma enorme inundação os animais moveriam-se para níveis mais elevados na tentativa de evitar a água. Como resultado seus fósseis seriam encontrados misturados com os esqueletos de animais que viveram mais tarde.

A Sociedade Paleontológica do Kentucky divulgou um comunicado afirmando que o Creation Museum não conta com métodos científicos que comprovem a origem do dinossauro e sua associação com a inundação bíblica. [RT]
(Visited 25 times, 1 visits today)

Filipe Aguiar

Filipe Aguiar Formado em Analise e Desenvolvimento de Sistemas pela Universidade São Francisco, fundou o Respiramos Ciência em 2014. É apaixonado por astronomia, biologia, livros, rock, RPGs, filmes e ama tocar bateria.

Deixe uma resposta