A nebulosa da Serpente estaria ‘encubando’ novos astros

Estrelas que estão começando a se aglutinar em faixas frias de poeira e gás estão sendo exibidas nesta imagem do Telescópio Espacial Spitzer da NASA.


 
A luz infravermelha foi atribuída a cores que vemos com os nossos olhos, revelando jovens estrelas em laranja e amarelo, e uma parcela central do gás em azul. Não é possivel enxergar essa area com luzes normais, mas a luz infravermelha pode viajar através da poeira, oferecendo uma espiada dentro da incubadora estelar.

A área escura para a esquerda do centro está coberta em tanta poeira, que até mesmo a luz infravermelha é bloqueada. É dentro destes úteros escuros que as estrelas estão começando a tomar forma.

Chamado de Nucleo da Nuvem Serpens, esta região de formação de estrelas está localizado a cerca de 750 anos-luz de Serpens, ou a “Serpente”, uma constelação em homenagem a sua semelhança com uma cobra na luz visível. [NASA]

(Visited 125 times, 1 visits today)

Filipe Aguiar

Filipe Aguiar Formado em Analise e Desenvolvimento de Sistemas pela Universidade São Francisco, fundou o Respiramos Ciência em 2014. É apaixonado por astronomia, biologia, livros, rock, RPGs, filmes e ama tocar bateria.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.