Astrônomos podem ter descoberto outro planeta no Sistema Solar

planet_9_art_1_

Em 2005, a descoberta do planeta anão Eris pelo astrônomo Mike Brown e seus colegas conduziram finalmente Plutão a ser rebaixado do posto de nono planeta do Sistema Solar em 2008. Em seu twitter ele é conhecido como “plutokiller” ou “assassino de plutão” em tradução livre.

Mas uma nova pesquisa, publicada hoje no The Astronomical Journal por Brown e seu colega Konstantin Batygin, causou um rebuliço. Ele propõe a existência de um verdadeiro nono planeta no Sistema Solar, apelidado de “Planet Nine” (Planeta Nove) e ostensivamente apelidado de “Phattie”, que teria mais do que metade da massa de Netuno.

O planeta ainda não foi observado, mas os astrônomos têm um modelo matemático que infere sua existência. “Temos uma assinatura gravitacional de um planeta gigante no Sistema Solar exterior”, disse Batygin Nature. Mas, curiosamente, eles dizem que alguns dos telescópios mais poderosos da Terra no momento podem ser capazes de encontra-lo. Aliás, ele já pode estar escondido em imagens existentes.

Evidências para o Planeta Nove vem do movimento observado de objetos no Cinturão de Kuiper, uma vasta região de cometas além da órbita de Plutão. De acordo com o jornal, isso sugere que há um planeta dez vezes a massa da Terra em uma órbita altamente elíptica em torno do Sol, completando uma órbita a cada 10.000 a 20.000 anos e nunca chegando perto de 200 vezes a distância Terra-Sol.

Como o novo planeta ainda não foi observado, um certo grau de ceticismo é necessário. Assim, é muito cedo para dizer que ele realmente existe. Mas o próprio Brown está confiante.

“OK, OK, agora estou disposto a admitir: eu acredito que o sistema solar tem nove planetas”, escreveu ele no Twitter.

Em seu artigo, Brown e Batygin dizem que há uma chance de apenas 0,007 por cento que o agrupamento observado de Kuiper Belt Objects (KBOs) é “devido ao acaso”, sugerindo uma outra origem. “Nós achamos que o alinhamento orbital observado pode ser mantida por um planeta com a massa excêntrica distante [superior a 10 Terras]”, escreveram eles. O planeta também poderia explicar as órbitas elípticas dos planetas anões como Sedna.

A descoberta de um nono planeta no Sistema Solar seria enorme, e isso é um eufemismo. Os astrónomos já previam a existência de centenas de planetas anões além da órbita de Plutão no Cinturão de Kuiper, mas até agora não existem teorias sólidas para um grande planeta como o Planeta Nove.

“Pela primeira vez em mais de 150 anos, há evidências sólidas de que o censo planetário do Sistema Solar está incompleto”, disse Batygin em um comunicado.

Fonte: [IFLScience]
(Visited 233 times, 1 visits today)

Filipe Aguiar

Filipe Aguiar Formado em Analise e Desenvolvimento de Sistemas pela Universidade São Francisco, fundou o Respiramos Ciência em 2014. É apaixonado por astronomia, biologia, livros, rock, RPGs, filmes e ama tocar bateria.

Um Comentário:

  1. Pingback: O Sistema Solar – Parte um - Respiramos Ciência

Deixe uma resposta