Marte revelado em detalhes sem precedentes: mapa surpreendente permite visitar os cânions, vulcões e crateras do planeta vermelho

Desde o seu maior vulcão até seu mais profundo cânion, o terreno extremo de Marte já pode ser explorado em detalhes sem precedentes a partir do conforto de sua casa. 

Este mapa colorido, que levou mais de 16 anos para ser criado, descreve a geografia de Marte como é hoje e ao mesmo tempo lança uma luz sobre o passado úmido do planeta vermelho. 

Ele também revela que grande parte da superfície do planeta é mais velha do que os cientistas pensavam, com as áreas em marrom escuro no mapa sendo formadas há mais de quatro bilhões de anos atrás.

‘A exploração de Marte ao longo das últimas décadas tem melhorado muito a nossa compreensão sobre quais materiais geológicos, eventos e processos formaram sua superfície “, disse o cientista do USGS e autor principal, Dr. Kenneth Tanaka. 

A maior área da superfície do mapa data do primeiro grande período do tempo geológico – o início da época de Noé. Este prazo é a primeira parte do período de Noé, que varia de cerca de 4,1 a cerca de 3,7 bilhões de anos atrás, e foi caracterizado por altas taxas de impactos de meteoritos, erosão generalizada da superfície marciana e a provável presença abundante de água na superfície . 

O mapa também confirma trabalhos anteriores que sugerem que Marte tem sido geologicamente ativo até os dias atuais.

Há evidências de que grandes mudanças no clima global de Marte apoiaram a presença temporária de águas superficiais e subterrâneas. Essas mudanças foram provavelmente responsáveis ​​por muitas das grandes mudanças nos ambientes onde as rochas marcianas foram formadas e, posteriormente, erodidas.

Fluxos de lava e vulcões do planeta vermelho são mostrados em vermelho, roxo e laranja, dependendo de quando eles foram formados.
Galerias de baixa altitude, principalmente de 7.000 metros até 3.000 metros abaixo da superfície são mostradas em verde, enquanto as crateras de impacto são marcadas pelas áreas amarelas espalhadas pelo planeta. 

Este último mapa foi criado usando dados das sondas Mars Global Surveyor, Mars Odyssey, Mars Express e Mars Reconnaissance Orbiter.

Fonte: [Daily Mail]


(Visited 160 times, 1 visits today)

Filipe Aguiar

Filipe Aguiar Formado em Analise e Desenvolvimento de Sistemas pela Universidade São Francisco, fundou o Respiramos Ciência em 2014. É apaixonado por astronomia, biologia, livros, rock, RPGs, filmes e ama tocar bateria.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.