Restos de fósseis da Terra poderiam ser encontrador na Lua

Sinais dos primórdios da vida terrestre poderiam estar presentes na Lua, esperando que um explorador os encontrem.
De acordo com físicos, essa poderia ser uma revolução se os cientistas focassem em buscar pedaços de rochas contendo minúsculos fósseis da Terra, que possivelmente foram lançados ao espaço em grandes impactos e colidido com a Lua.
Meteoritos encontrados na Terra que foram criados por impactos entre a Lua e Marte, sugerem que corpos cósmicos atiram rochas um ao outro ocasionalmente. Vários pesquisadores afirmam que alguns desses meteoritos mostram sinais de bactérias fossilizadas, como a famosa pedra de Marte ALH 84001. No entanto, a evidência é crua e pede mais explicações, segundo Mark Burchell, da Universidade de Kent, Reino Unido.
Ninguém nunca pensou em perguntar que se os fósseis podem existir em uma rocha, eles resistiriam?!” disse. Para descobrir, Burchell e seus colegas tentaram simular as condições que as diatomáceas fossilizadas – protistas microscópicos com conchas detalhadas – enfrentariam em uma viagem daqui até a Lua.
De acordo com dados da New Scientist, a equipe unificou restos de rocha em pó contendo os fósseis com água, e depois congelou esse objeto, para replicar um meteoroide. Eles, então, depositaram-no em um saco de água usando uma pistola de grande porte movida a gás. A força da arma imita o que acontece quando um impacto próximo lança uma pedra em órbita, e também a rápida desaceleração e altas pressões ao bater na água, simulando o choque com a Lua.
Nenhum dos fósseis resistiu ao impacto, e a equipe encontrou cada vez menos fragmentos reconhecíveis, e eles estimaram que a “culpa” seria da velocidade, então reduziram de 5 km/s para 500 m/s, tentando se aproximar melhor da realidade.
O impacto testado não pulverizou os fósseis por completo. Nenhum resistiu ao intacto, mas os poucos fragmentos restantes eram totalmente reconhecíveis. As rochas que já haviam sido trazidas da Lua para análise, nunca foram reconhecidas como sendo da Terra. Entretanto, elas nunca foram analisadas por esse âmbito.
Há uma boa chance, mesmo que não se tenha encontrado fragmentos, nem tudo foi analisado por todas as possibilidades”, explicou Burchell. Descobrir qual a idade dos fósseis, poderia fornecer uma riqueza de informações sobre o passado da Terra.
Exploradores robôs e humanos trouxeram de volta centenas de amostras lunares, mas até agora ninguém encontrou um meteorito da Terra em nosso satélite natural. Christian Koeberl, da Universidade de Viena, na Áustria, aponta que a atmosfera da Terra, que é densa e possui alta gravidade, – em comparação com a Lua e Marte – faz com que seja mais difícil para as rochas se soltarem. “Mesmo que isso aconteça raramente, não é impossível.”, disse.
É um prêmio que vale a pena perseguir, disse Kieren Torres Howard, da New York City University. “A ideia de que fragmentos de rochas da Terra, espalhados na superfície lunar, poderia ser um registro fóssil preservado, que abrange grande parte da história da Terra, é intrigante”, diz ele. “Na verdade, descobri-los seria incrível. Outra razão pela qual devemos voltar à Lua”,finalizou Howard, empolgado.

Fonte: [Jornal CiênciaNew Scientist]

(Visited 142 times, 1 visits today)

Filipe Aguiar

Filipe Aguiar Formado em Analise e Desenvolvimento de Sistemas pela Universidade São Francisco, fundou o Respiramos Ciência em 2014. É apaixonado por astronomia, biologia, livros, rock, RPGs, filmes e ama tocar bateria.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.