Você sabe o que aconteceu com as bandeiras que foram deixadas na Lua?

Essa bandeira — feita de nylon comum e medindo aproximadamente 1,5 metro de altura por 90 centímetros de comprimento — não foi a única a ser deixada na superfície da Lua, já que missões subsequentes seguiram o mesmo exemplo. Contudo, será que elas continuam intactas depois de todos esses anos?


De acordo com o pessoal do Today I Found Out, o próprio Buzz Aldrin disse ter visto a primeira bandeira deixada na Lua ser derrubada quando os motores da Apollo 11 foram acionados para a viagem de volta. Além disso, considerando o inóspito ambiente no satélite — praticamente desprovido de atmosfera, sem falar da abrasiva poeira lunar —, todo mundo sempre acreditou que as bandeiras tinham provavelmente desbotado e se desintegrado completamente.
Aliás, a intenção nem era a de que as bandeiras durassem para sempre. Segundo o Today I Found Out, a primeira foi comprada por US$ 5,50 (cerca de US$ 35 hoje em dia — ou o equivalente a aproximadamente R$ 78) da fabricante de bandeiras mais antiga dos EUA, a Annim, de New Jersey. As demais bandeiras, deixadas na Lua durante as missões Apollo 12, 14, 15, 16 e 17, também eram totalmente ordinárias, dessas que qualquer um pode comprar.
A última bandeira foi deixada na Lua em 1972 e, apesar de mais ninguém ter perambulado pela superfície do satélite desde então, diversas sondas foram enviadas até lá. Com o desenvolvimento tecnológico ao longo dos anos, esses equipamentos foram se tornando cada vez mais precisos, e não é que em 2012 a sonda LROC — Lunar Reconnaissance Orbiter — clicou imagens que confirmam que a maioria das bandeiras continua lá, firme e forte!

Contudo, com respeito ao estado geral de conservação das bandeiras, parece existir um consenso de que as cores desapareceram e que o tecido se tornou branco. Por certo, as bandeiras não foram os únicos vestígios deixados pelos astronautas que foram clicados pela LROC. A sonda também encontrou um bocado de equipamentos e rastros espalhados pela superfície lunar. [Today I Found OutMegacurioso]

(Visited 86 times, 1 visits today)

Filipe Aguiar

Filipe Aguiar Formado em Analise e Desenvolvimento de Sistemas pela Universidade São Francisco, fundou o Respiramos Ciência em 2014. É apaixonado por astronomia, biologia, livros, rock, RPGs, filmes e ama tocar bateria.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.