Você sabe qual é o animal que mais salvou vidas humanas?

carangueijo-ferradura

Você deve estar pensando nesse momento que o animal em questão é um cachorro, cavalo ou algum pombo-mensageiro. Mas, se você pensou em algum desse animais, você esta completamente enganado. O animal salvador vem do mar: é o caranguejo-ferradura, aquele de aspecto pré-histórico que também é conhecido como límulo (Limulus polyphemus).

O caranguejos-ferradura, esse bichinho feio que, apesar do nome, tem mais parentesco com aranhas e escorpiões do que com crustáceos, são retirados de seu habitat na costa leste dos EUA e submetidos a um processo de extração de sangue. Além de valioso, ele é muito importante para a nossa saúde.

A indústria farmacêutica utiliza um extrato de seu sangue, o lisado do amebócito do Limulus (ou LAL) para testar medicamentos, vacinas e dispositivos médicos (como rins artificiais) a fim de verificar se estes não estão contaminados. Até hoje, não existe nenhuma outra opção tão simples e confiável quanto o uso do LAL para realizar essas ações.

Os límulos ou caranguejos-ferradura vivem em áreas costeiras rasas que, muitas vezes, são contaminadas, sendo que um litro de água do mar pode facilmente conter milhões de bactérias tóxicas. É sabido que esse caranguejo não tem nenhum sistema imunitário e não é capaz de desenvolver anticorpos para combater infecções.

No entanto, o seu sangue contém um elemento milagroso que coagula em torno de agentes invasores e os dissolve, sendo o principal componente usado na produção de LAL. Com isso, para descobrir se algo destinado a uso médico está contaminado ou não, você só tem que expô-lo ao LAL. Se não coagular, está limpo.

Ao contrário de seres humanos, o sangue do caranguejo-ferradura não tem hemoglobina, que utiliza ferro para transportar oxigênio, mas hemocianina, que utiliza cobre. E isso explica por que o seu sangue é azul, o que é altamente útil e pode valer cerca de 15 mil dólares o litro.

Mas, calma! Antes que você ache que os bichinhos precisem morrer para isso, saiba que o sacrifício deles não é necessário. Para obter o seu sangue valioso, os caranguejos são “ordenhados” manualmente por profissionais cuidadosos que retiram no máximo 30% do seu sangue e os devolvem à natureza em seguida. Mesmo assim, estima-se que entre 10 e 30% deles morra no processo, e entre as fêmeas sobreviventes, foi constatado que a taxa de natalidade diminui.

Caranguejo-ferradura-Límulo-sangue-azul

Os caranguejos passam por essa ordenha apenas uma vez por ano, sendo que seu sangue é posteriormente congelado, desidratado e, em seguida, enviado às instituições de pesquisas médicas e laboratórios.

Eles são representantes do mais antigo grupo animal que ainda vive sobre a face da Terra: os Merostomatas, que surgiram há cerca de 300 milhões de anos.

O surpreendente é que, desde o seu surgimento, o límulo não mudou e mantém as mesmas características da época de antes dos dinossauros. O animal suporta um ano sem alimentação e situações extremas de frio e calor. Talvez toda essa resistência seja o segredo de seu sangue precioso.

Fonte: [Megacurioso, Gizmodo, IFLScience]
(Visited 168 times, 1 visits today)

Filipe Aguiar

Filipe Aguiar Formado em Analise e Desenvolvimento de Sistemas pela Universidade São Francisco, fundou o Respiramos Ciência em 2014. É apaixonado por astronomia, biologia, livros, rock, RPGs, filmes e ama tocar bateria.

Deixe uma resposta